29.12.08

Me surpreendo todos os dias como nos perdemos facilmente um do outro. As pessoas não sabem mais se comunicar. A incompreensão que temos do outro acontece de todas as maneiras todos os dias. Vivemos a vida tentando decifrar gestos e olhares. Mas na verdade, esquecemos de olhar no espelho. Não é questão de ter telhado de vidro. É realmente olhar e tentar se compreender. No fundo dos olhos, lá dentro, o que realmente nossa alma nos diz.
É fácil acredito, tirar nossas próprias conclusões a respeito das pessoas. Mas acho uma terrível perda de tempo quando ao fazer isso, esquecemos de, em primeiro lugar, ouvir o que nós temos a dizer pra nós mesmos. Falar ao outro, na psicologia mais básica, o que na verdade, nós mesmos não queremos ouvir, é o caminho mais seguro. Sempre é.
O foda é encarar tudo o que você mesmo tem pra se dizer. A verdade real e cruel.
Isso é difícil.
E acontece um passo de cada vez.
Eu sempre confiei nos meus instintos. Minha intuição raramente falha, e quando eu presto atenção, as coisas ficam muito claras pra mim.
Quero que essa passagem de tempo de um ano para o outro tenha significados mais profundos, mais verdadeiros, que eu pare pra pensar justamente em tudo que vivi até aqui, que me fez ser quem eu sou e estar onde estou.
Tudo tem um motivo, mas na minha opinião, o maior motivo de todos, sou eu.
Eu estou na vida por mim, então todo cuidado que eu puder ter de agora em diante comigo, é só porque eu quero passar vários anos sendo verdadeira e honesta com os meus sentimentos.
Não tenho medo, não quero me preservar, não acho que a preservação de uma pessoa a leve longe. Se você não se joga, não vive e não tem nada a aprender.
O mundo é cruel, mas ele é lindo também.


Obrigada 2008 por tudo que aprendi até agora. Foi um crescimento forçado, doído, intenso e totalmente meu. Volto a sentir e tomar fôlego de novo.
Não digo que não tenho medo, mas de agora em diante eu resolvi viver apenas o que eu escolhi pra mim. Não quero comodismo, não quero o conforto da redoma de vidro. Quero o real e verdadeiro prazer de viver intensamente.
Feliz ano novo.

22.12.08

eu quero tudo e não tenho nada, é isso mesmo?
Tudo que eu gostaria de dizer, ainda não foi dito. Eu não gosto de balançar o coreto alheio. Meu maior defeito. Enquanto todos sacodem e derrubam o meu, e eu vou lá e monto tudo de novo, pra derrubarem de novo.
Nada saudável.
Mas ainda bem que eu tenho conseguido falar na análise. Aprendi desde pequena a não falar, a omitir, por medo. Medo de ser repreendida. Cada um com os seus problemas. O meu é esse.
Meu maior medo é o da rejeição, pensando no meu histórico mais recente.
Aí, me recolho, me suicido um pouquinho todo dia (como escorpiana que sou), e deixo que os outros venham e me digam o que acham que eu devia estar fazendo da minha vida.
Mas, por teimosia, acabo fazendo sempre o que eu quero da minha vida. Deveria ser assim, né? Cada um faz o que bem entende da vida e fica por isso mesmo.
Mas não é. Quando existem sentimentos envolvidos nunca é.
A vida podia também ser mais simples, mas não é.
Então tá.
Vou pegar o martelo e começar a reconstruir essa história.

15.12.08

Eu tenho beijo de bom dia na cama, tenho carinho no final de semana, tenho risadas, olhares e suspiros.
Porque eu me permiti, porque eu escolhi.

As coisas têm começo, meio e fim.

Eu estou no começo.

11.12.08

Se o inevitável acontece, melhor viver o inevitável

Não vou aqui ficar me lamuriando em desespero. Não mesmo.
Agora, que é um enigma atrás do outro, isso é. Tentar definir seus olhares pra mim, em determinados momentos em que o silêncio nos corta, um olhar profundo, dentro dos meus olhos. Dentro de mim. Apesar de estarmos aguardando algum mágico acontecimento e apesar dos dois terem medo do que vamos encontrar pela frente.
Seu olhar me congela.
E aí você abre um sorriso. Me olhando ainda, mas sorrindo.

E nesse momento, eu derreto.





"This Is Love"
(PJ Harvey)

I can't believe life's so complex
When I just wanna' sit here and watch you undress
This is love that I'm feeling
Does it have to be a life full of dread?
I wanna' chase you round the table, I wanna' touch your head
This is love that I'm feeling
I can't believe that the axis turns on suffering
When you taste so good
I can't believe that the axis turns on suffering
While my head burns
This is love that I'm feeling
Even in the summer, even in the spring
You can never get too much of a wonderful thing

You're the only story that I never told
You're my dirty little secret, wanna' keep you so
Come on out, come on over, help me forget
Keep the walls from falling on me, tumbling in
This is love that I'm feeling

8.12.08

apesar de você

amanhã há de ser, ouuuutro dia...


Eu não tenho jeito. Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.Eu não tenho jeito.

7.12.08

negação

não quero mais arrependimentos na minha vida.
não quero mais amores não correspondidos.
não quero mais me sentir second hand.
não quero mais.


não.

mas me falta coragem para dar um basta.

coragem.

dói a alma só de pensar.

eu não escolhi isso. juro que não. veio se aproximando de mim sorrateiramente.
esse sentimento não me faz bem.

não.


preciso ficar repetindo.


não.

3.12.08

dor rima com amor

A angústia começa em torno de um pensamento obsessivo. Uma vontade insuportável de ficar junto, de ouvir o que você tem a dizer, de observar cada centímentro do teu corpo como se fosse a primeira vez que o visse. Mas eu não te tenho nem quando estamos a dez centímetros um do outro. Você vaga em seus pensamentos, que te levam tão longe de mim, fica impossível alcança-lo.
A saudade acontece na hora em que nos despedimos. Não existe uma hora, duas, três horas depois. Existe o fechar a porta e já sentir meu coração apertando.
Mas como se lida com isso? Como eu posso viver esperando o impossível?
Meu coração não tem me obedecido ultimamente, infelizmente.
Minha cabeça fica num processo doido de me convencer disso e daquilo.
Eu amo você.
Mas você não sabe disso, não é mesmo? E as vezes acho que não merece saber.

*mentalmente exausta hoje*